14.6.05

ficha nº8

Jornal digital:
www.esep.com

Com o Jornal digital podemos aceder a todo o tipo de informação a qualquer hora sempre com noticias actualizadas, e através do hipertexto seleccionar as noticias que estamos interessados a visualizar. Por outro lado, podemos deixar a nossa crítica através dos forúns ou blogs. Quanto aos mass media tradicionais o mesmo não acontece, no caso do jornal as noticias são pre-seleccionadas antes de serem lancaçadas para as bancas. Não há qualquer interactividade entre jornalistas criticos e meros utilzadores. Assim a imprensa para manter um número concideravél de leitores recorre à Web para satisfazer também a necessidade dos utilizadores e para manter-se actualizada no mundo que hoje começa a ser dominado pela internet.

<< Home

Ficha nº5

Tema: Cinema

Sites de pesquisa:
http://cinema.weblog.com.pt/

Weblogs encontrados:

http://cineblog.blogs.sapo.pt/

Citação: Os 100 melhores filmes esquecidos
"A rapaziada resolveu publicar a lista dos "100 filmes que mereciam mais amor"... um curioso conceito...
Ora dêem uma vista de olhos, e digam (ou não) de vossa justiça.
Claro que como lista de opinião que é, há sempre alguns filmes dos quais sentimos falta... mas... não está mal."



http://www.cinemaevideo.weblogger.terra.com.br/




Citação: "Sabe aquela sensação de entrar no cinema para ver um filme e sair com a certeza de Ter visto outro, pois é, esta é a sensação ao final de MENINAS MALVADAS, filme escrito por TINA FEY que é a redatora chefe do SATURDAY NIGTH LIVE, se isso só já era um motivo para não ver o filme, (acho esse programa sofrível), outra razão para não ver o filme é que ele é muito parecido com aquele filme horrível chamado NÃO É MAIS UM BESTEROL AMERICANO, mas não se deixe enganar MENINAS MALVADAS é muito mais que tudo isso, e muito mais profundo."

Conclusão:
São bastante importantes os weblogs sobre o cinema, porque assim podemos dar e ver a opinião sobre determinados filmes, podendo assim, escolher os filmes a serem vistos consoante a opinião de cada um.

<< Home

Ficha nº 3

A cibercultura estuda as relações sociais e a formação de comunidades em ambientes de rede, que estão sendo ampliadas frente a popularização da Internet e de outras tecnologias que possibilitam a interacção entre pessoas. Ela interessa-se pela dinâmica política e filosófica dos assuntos vividos por seres humanos em rede bem como na emergência de novas formas de comportamento e expressão.
Num mundo globalizado e multi-mediado pelas telecomunicações, as pessoas conectadas às redes tornam-se a interface entre o real e o virtual, direccionando-se para um processo no qual, ao mesmo tempo em que se produz uma espécie de diluição dos corpos em uma massa desmaterializada, mesclada de informações, essa mesma massa de dados duplica sua existência como tecno-presença e presença física imediata. E é essa duplicidade/multiplicidade o que interessa entender, do ponto de vista da produção cultural - ciber - ou seja como utilizamos os instrumentos especialmente desenvolvidos para a adequação a situações de trânsito e deslocamento, ferramentas de adaptação a um universo urbano de contínua aceleração e que afectam sensivelmente as formas de percepção, visualização e comunicação.
Ciberespaço é o ambiente criado de forma virtual. Através do uso dos meios de comunicação modernos, destacando-se entre eles a Internet. Esse fenómeno deve-se ao facto de, nos meios de comunicação modernos, haver a possibilidade de pessoas e equipamentos trocarem informações das mais variadas formas sem preocupações.
Virtual é tudo aquilo que não é palpável, isto é, geralmente alguma abstracção de algo real. É chamado de mundo virtual normalmente o ambiente de comunicação que é feito na Internet.
A Internet é uma rede de redes em escala mundial de milhões de computadores. Ao contrário do que se pensa, a Internet não é sinónimo de World Wide Web. Esta é parte daquela, sendo a World Wide Web, que utiliza hipermídia na sua formação básica, um dos muitos serviços oferecidos na Internet. A Web é um sistema de informação muito mais recente que emprega a Internet como meio de transmissão.
Alguns dos serviços disponíveis na Internet, além da Web, são o acesso remoto a outras máquinas, transferência de arquivos, correio electrónico (e-mail), boletins electrónicos (news ou grupos de notícias), chats online, mensagens instantâneas (ICQ, YIM, Jabber, MSN Messenger, Blogs), etc.
A comunicação ciberespacial apresenta a capacidade de grande escala da Comunicação de Massa, ou seja, pode atingir diversos receptores simultaneamente mas o público não é mais anónimo, o que permite a personalização do conteúdo para cada Receptor e suas necessidades. Na comunicação ciberespacial, o retorno do receptor é maior e ganha uma nova denominação: interactividade. A comunicação ciberespacial apresenta-se como comunicação de massa ao atingir um grande público e como comunicação interpessoal ao apresentar-se como uma via de duas mãos. O ciberespaço combina as vantagens dos dois sistemas anteriores. Permite, ao mesmo tempo, reciprocidade e a partilha de um contexto. Trata-se de comunicação conforme um dispositivo todos para todos. (LÉVY, 1999, p. 207).

<< Home

Ficha nº8

Diário digital

Escolhi este sitehttp://diariodigital.sapo.pt/, como amostra de um site informativo. Este site contém várias notícias, tanto actuais como mais antigas, podendo ser consultadas quando, onde e como quisermos. A página principal destaca as notícias mais importantes, e por baixo destas, temos as restantes notícias estando seleccionadas por temas. Esta estrutura faz com que o utilizador tenha mobilidade de escolha das notícias que quer ler. Por outro lado, dá-nos ligação a outros sites que podem ser importantes, como por exemplo, a o “Diário de Notícias”, “A Bola”, “O Jogo”, sites sobres as estreias dos filmes, o tempo, etc…
Este site permite-nos fazer pesquisa de textos informativos publicados com o uso de uma palavra-chave.
O jornal digital acaba por ganhar bastante vantagem em relação ao jornal tradicional devido à grande interactividade que existe, dando ao utilizador liberdade de escolha e de acção.

<< Home

Ficha 6

Will blogs kill old media?





Na minha opiniâo pessoal, os blogs, apesar de terem vantagens, nunca irão "aniquilar" os old media.
Os "old media" ou media tradicionais ofereçem-nos uma credibilidade que raramente se encontram nos blogs, os jornais sao feitos por jornalistas profissionais e sao elaborados para atingir a população em grande massa.
Os blogs por sua vez, além de ofereçerem mais flexibilidade e uma maior interação com os utentes nao são muito crediveis visto serem publicados por jornalistas amadores que podem ou não saber o que estâo a publicar.

<< Home

Ficha nº6

Na minha opinião os olds média só dependem de si, uma vez que neste momento não respondem as necessidades da população, e a população procura outros meios que lhe facilitem a informação, como os blogs.
É preciso referir que os “old media” deixam de ter o papel tradicionalmente atribuído e passam a ter uma participação diária na Internet, as estações de rádio mais populares têm páginas interactivas na Internet, assim como os jornais e as canais televisivos. Assim sendo, podemos afirmar que há uma tentativa de adaptação, pois é do conhecimento dos old media assim como de todo o mundo que muitas pessoas navegam diariamente pela Internet em busca de nova informação, a todo o momento, especialmente, nos dias que correm, podemos, quase que afirmar, que as novas gerações vão estar muito mais ligadas às novas tecnologias, do que a nossa geração e a geração seguinte ainda mais, e assim sucessivamente.
Hoje em dia muitas pessoas deixam de comprar os jornais e mantém-se informados através da Internet.Existem pessoas que já colocaram totalmente de lado os velhos media, e utilizam somente a Internet, é o “netcitizen”.
Por fim a televisão, com a sua possibilidade do directo, a imagem e som em tempo real, a possibilidade de se assemelhar à Internet com a criação de fóruns, cabeçalhos e rodapés que transmitem informação minuto a minuto, o teletexto com informação actualizada. É uma tentativa de criar o máximo de interactividade nunca atingindo o que nos é permitido pela Internet.
Por este ponto de vista é fácil constatar que os old media serão extintos pelos blogs se estes (old media) não se adaptarem as novas tecnologias, e se não avançarem em relação as necessidades dos consumidores/população. O que se verifica neste momento, como já referi, é que existe uma tentativa de os old media caminharem ao encontro dos consumidores. Os consumidores tem sempre alternativas, enquanto os old media sem os consumidores deixam de existir.
Existe nos tempos que decorrem a noção de “netgeneration”, que será uma camada da população adolescente, que “navega” frequentemente na rede, acede a informação, comunica entre si.

<< Home

Ficha nº 8

Irei falar sobre o Site abola


Este site abola permite ao utilizador ler todas as noticias que intender sem sair de casa,basta um simples clik na noticia que desejar. Este site dá-nos todas as informações sobre futebol,ginastica,ténis etc... enfim, tudo o que tenha haver com desporto o site abola tem toda a informação que deseja. Na visita a este site o utilizador tem a possibilidade de um registo de dados pessoais de forma a que em futuros acessos haja um tratamento personalizado. este site tem várias barras de acesso directo hà informação que desejar. É neste ponto que a principal diferença nomeadamente em relação aos chamados media tradicionais, isto é, é-nos dada a opção de escolha. Podemos optar pelos temas com que mais nos identificamos. Coisa que não acontece nos old media, onde somos muitas vezes confrontados com informação que não nos interessa minimamente. Outro aspecto a ter em conta é a actualidade das noticias que é feita quase ao minuto e que nos mantem sempre actualizados.
É por causa desta funções que cada vez mais os sites digitais têm uma maios relevância na nossa sociedade. Na minha opinião, no futuro o jornal tradicional tem tendencia para acabar.


www.abola.pt

<< Home

Ficha 8

Axpresso online vs expresso tradicional

Site:http://online.expresso.clix.pt/1pagina/default.asp



O expresso é um dos jornais mais conhecidos do nosso pais sendo publicado semanalmente, tem vindo a informar uma granda percentagem da população portuguesa.
Aconteçe que alguma dessa população não tem acesso ao jornal, ou seja, nao o vai comprar todos os sábados ao quiosque, mas mantêm-se informada através de um fenomeno que se chama Jornal online ou neste caso "expresso online".
Neste jornal electronico o utilizador pode simplesmente escolher as noticias que mais lhe interessam sem ter de passar pelas outras todas, sendo muito mais rapido.
Para isso basta ter um computador ligado a internet, sendo este o revés visto que um jornal tradicional pode ser utilizado em qualquer altura e em qualquer lugar.
Será que com o aumento de população com acesso á internet o jornal electronico vai a medio prazo substituir o jornal tradicional?

<< Home

Ficha de trabalho nº 3

É através do ciberespaço que nasce a cibercultura. Como o nome indica é a cultura que provém directamente do ciberespaço, trazendo consigo os seus valores morais. Sendo o ciberespaço algo bem mais complexo do que uma partilha de valores.
As novas tecnologias ditam a direcção do ciberespaço e apontam para uma nova era cujas implicações na subjectividade humana. Estamos diante da virtualidade, da virtualização, do que é virtual, do que é e do que não é ao mesmo tempo, do nada e do tudo. Estamos diante das potencialidades de actualização. O virtual, por um lado, representa o novo, o desconhecido, um jogo de forças actuando no sentido de criar um nível de tensão X que provoque uma simulação, uma individuação. Por outro lado, este novo, quando tornado conhecido, desvela e introduz uma lógica que repete a experiência deste novo, porque ele mesmo funciona de acordo com uma lógica da desterritorialização, do devir, do processo: a lógica da virtualização. Podemos dizer que o virtual se apresenta como uma experiência de meta estabilidade e, ao mesmo tempo, é a própria meta estabilidade. O fim das certezas absolutas, o fim dos territórios demarcados, agora, tudo se resume ao espaço.
A comunicação entre os humanos é o que permite ao homem tornar-se cidadão. É através das diversas formas de linguagem que o homem consegue se organizar em sociedade, estabelecendo leis de convivência, firmando e transmitindo valores e conhecimentos. Tomemos, então, as técnicas de comunicação utilizadas pelo homem para entendermos a relação que este vem estabelecendo com o mundo e a nova relação que se delineia.
Os meios de comunicação de massa, ao contrário do que acontecia na oralidade e na era da escrita, alcançam em tempo real um contingente imenso de indivíduos. Além disso, como exteriorizações das percepções humanas (televisão como um olho colectivo e o rádio como um ouvido colectivo), propagam interpretações parciais sustentadas em interesses bem definidos como se fossem verdades absolutas. A falta de exposição na média de outras posições que façam frente a este olhar parcial permite que ele seja captado sem nenhuma crítica como único possível, criando uma hegemonia, uma homogeneização alienada, presa, territorialidade. A subjectividade passiva oriunda de um sistema de comunicação violador, intruso, unidireccional. O ápice da territorialização.
E, de repente, estamos nós perante a máquina... e pela máquina, perante a Internet, que não é nem a oralidade, nem a escrita, nem a televisão ou o rádio, nem o simples resultado do complemento destes suportes de comunicação. Sons, palavras e imagens num universo virtual. Ciberespaço, espaço cibernético, espaço virtual, espaço sideral, desiderium.
Vislumbramos uma nova relação com o mundo, com a cultura, com o conhecimento. O virtual, como escreve Lévy (1996), não se presta como contraponto ao real, de onde se conclui que o virtual não significa fora da realidade, como muitos dizem. O virtual, por outro lado, contrapõe-se ao actual, sendo que este não mantém uma relação de determinação com aquele. Isso quer dizer que uma actualização não nos leva de volta à virtualização que a gerou, ao contrário da relação do real com seu contraponto, o possível, que mantém uma relação de causa e efeito perfeitamente reversível, num processo linear, pré-determinado e, por isso, previsível.
A actualização é sempre inédita, inventiva e se constitui como território, em termos de uma resposta a um problema anterior. Virtualizar significa dissolver algo que se apresenta como actualização em um universo de diferenças. É sair da presença, é abandonar o território. Significa potencializar esta actualização, no sentido de inscrevê-la em um todo maior, colocar nela uma interrogação que a faça tornar-se parte de um complexo problemático superior, o que levará, num espiral infinito, a novas actualizações e novas virtualizações. Este é um processo profundamente criativo cujos resultados surgem do ja referido, jogo entre diferenças.

<< Home

Ficha n.º 3

Anjos Fadas e sereias
de: Rui Magalhães

Fazendo uma análise histórica e social reflectindo o Sec. XX detectamos vários acontecimentos que levaram a uma desenvolvimento brusco das civilizações.A relação que se encontra entra o ciberespaço e cibercultura é que não se compreendem entre si, só se podem relacionar através da correlação existente com a civilzação. A cibercultura é a cultura que provem do ciberespaço onde existe algus valores de adopção.O ciberespaço que estamos falar, é o lugar onde o discurso político perde definitivamente o seu aparente valor ideológico, no exacto momento em que a liberdade atinge o seu ponto máximo. Podemos dizer que a Internet se tornou nums dos principais e importantes desenvolvimentos tecnológicos.
A geografia das redes tende a radicalizar os mecanismos da sociedade liberal desenvolvida sem que se cessam os valores na ausência de uma menor violência física e sem vestígios de um discurso autoritário. O ciberespaço não é a ablição das fronteiras mas sim da invisibilização dessas tais fronteiras de valores e de poderes, é uma extensão técnica do mito de libedade. No ciberespaço, todos podem ter uma interactividade entre todos mas que não pode existir o verdadeiro objecto da comunicação porque não há exterioridade. Por isso, o ciberespaço promovo uma igualdade de oportunidades em relação aos objectos universais, porque esse desenvolvimento acentua a diferenciação que há entre os países ricos e os países pobres. Mas a partir de um certo momento, os países pobres começaram a ter acesso a informação para puderem se aproximar dos países ricos em termos de possibilidades de comunicação. Neste contexto podemos dizer que há interactividade no ciberespaço em que, o lugar dela é o da acção. o Ciberespaço é existente no interior de um determinado espaço virtual feito pelo sujeito em que esse, pode organizar e ordenar o cosmos á medida do seu gosto pessoal.
Chega-se então a conclusão de que o ciberespaço é designado como um "lixo" porque não existe uma distância necessária pelo qual á possibilidade da assunção ou não dos valores. Esses valores identificam-se com a situação do homem constituindo uma nova metafísica naturalista.

<< Home

Ficha Nº 6

Penso que os old media nunca vão deixar em relação aos blogs.
Os blogs dão ao utilizador uma maior liberdade de expressão e mesmo de liberdade total.
Mas os utilizadores de weblogs são referenciados como jornalistas amadores, porque divulgam as noticias que querem, dão muitas opiniões, que segundo o código deontológico do jornalista, os jornalistas não podem dar as suas opiniões nem fazerem comentários porque estão a interagir directamente com os leitores.
Visto desta maneira os blogs não vão acabar com os old media porque neste momento os old media são fontes credíveis de informação nem todos mas existem muitos que são.
Os old media tem varias desvantagens em relação aos blogs a única vantagem é mesmo aquela que enunciei, as desvantagens é que os blogs podem ser actualizados sempre que surgem noticias novas ou acontecimentos no mesmo minuto, enquanto os old media como por exemplo os jornais só divulgam a noticia no dia seguinte não tem a possibilidade de actualizar as noticias e enquanto o leitor nos blogs pode interagir fazer comentários das noticias, etc. no jornal tradicional não tem essa hipótese.
A outra questão é que a população com mais idade não consegue nem quer adaptar-se às novas tecnologias, só a geração recente é que utiliza muito as novas tecnologias enquanto a geração mais antiga estiver viva vai ser difícil acabar com os old média.

<< Home

Ficha nº 8

A rádio cidade online informa-nos sobre tudo o que se passa no mundo. Neste site podemos ouvir a emissão em directo, bem como saber logo as músicas que estão a passar. Temos ainda a possibilidade de ver as últimas noticias do mundo da música.
A cidade fm online dá-nos a possibilidade de visitar o forum, ir ao chat, ver o tempo em vários sitios e ter passatempos.
Visitem a Rádio Cidade que vale a pena...

<< Home

Ficha nº 4

<< Home

Ficha 8

A http://www.tsf.pt/ contêm informações actualizadas constantemente com os mais variados temas e a utilização do hipertexto que nos possibilita ler apenas o que mais nos interessa, a informação está dividida por temas. Existe também elementos multimédia, como as imagens, animações (publicidade).No jornaldigital.com podemos expressar a nossa opinião através de um fórum e existe também uma sondagem onde é possível saber logo o seu resultado.
Se por exemplo houver um acontecimento importante neste momento só no jornal de amanhã podemos verificar o acontecimento on-line as noticias estão sempre a ser actualizadas.
O site está estruturado em várias barras de acesso directo, nas quais pode optar por aceder à modalidade que se pretende.

<< Home

Ficha 7

Cidade de Coimbra


Noticias
www.diariocoimbra.pt
www.jornaldecoimbra.pt/

Universidades e Institutos
http://www.uc.pt/
http://www.isca.pt/
http://www.isec.pt/
http://www.ismt.pt/
http://www.arca.pt/
http://www.esebe.pt/
www.ipc.pt/
www.fd.uc.pt
www.esac.pt
www.conservatorio-m-coimbra.rcts.pt/
www.aac.uc.pt/
www.fct.uc.pt

Museus
www.regiaocentro.net/lugares/coimbra/museus/
http://www.ipmuseus.pt/

Hospitais de Coimbra
http://www.huc.min-saude.pt/
www.chc.min-saude.pt/
www.apir.pt/pt/centros/02-inicios/ini-hitoc-coimbra.htm

Politica
http://www.cm-coimbra.pt/
www.gov-civil-coimbra.pt

Tribunal
www.trc.pt/

Alojamentos
www.residencial-almedina.pt

<< Home

Ficha 6

Com o aparecimento da netgeneration, cada vez mais irão desaparecer os jornais e as revistas que se vendem nas papelarias porque as pessoas não necessitam de adquirir esses artigos porque basta navegar nos blogs que são actualizados todo o tempo para se aceder as noticias do dia-a-dia e a todas as informações.
Pode-se definir Blogs como uma página web que é actualizada frequentemente, composta por pequenos parágrafos apresentados de forma cronológica.
Com o aparecimento do hipertexto houve a digitalização do real, o hipertexto. O termo "hipertexto" designa um conjunto de documentos organizados de forma não-linear e que estabelecem entre si uma rede complexa de relações associativas. A sua organização é explicitamente não-sequencial, não hierárquica e sem raiz.
O hipertexto, cujas raízes conceptuais se explicam pela natureza associativa do pensamento humano, tem como equivalente teórico em literatura o conceito de intertextualidade, segundo o qual tudo o que escrevemos está cheio de referências a outros textos e ecos da nossa tradição cultural, e assim cada texto deve ser interpretado como repositório, talvez inconsciente, de outros textos, gerando uma indefinida rede de inter-relações textuais.[
Com todas as vantagens a netgenaration de futuro pode mesmo matar o jornal tradicional.

<< Home

Ficha 3

A cibercultura é a cultura criada pelo cibersespaço é a através do ciberespaço que esta nasce.
A cibertcultura é a cultura que provêm do ciberespaço, existe uma adopção de valores que provêm do ciberespaço.
Mas o ciberespaço é mais que uma partilha de valores é mais que o iniciar de uma nova cultura é uma civilização onde existe o desenvolvimento de uma ciência das civilizações.
A Internet têm sido uma ferramenta essencial para as mais variadas ciências, e para a evolução do homem, embora a percentagem da sua utilização e o tempo que esta existe sejam pequenos ás escala do homem, têm se verificado de todo vantajosa em muitos campos.
Atravéz da Internet a democracia torna-se livre onde todos podem se manifestar.
O cibersepaço é a mas sim a invisibilização de fronteiras onde as hierarquias terminam
Existe uma liberdade de valores sem barreiras.
O Ciberespaço significa a morte dos objectos reais.
Existe a transposição do papel para o hipertexto a virtualização do real o suporte é digital, sem tempo nem espaço físico concreto.
O ciberespaço não deve substituir as instituições mas apenas completalas deve servir como ajuda ás instituições, serve como veiculo onde os indivíduos ficam mais próximo do mundo.
A vida concreta desenrola-se no interior de uma rede de onde se verifica uma deminuição das pessoas nos espaços físicos reais existe uma comunicação de todos para todos.
A rede abole a infinita distância do infinito onde os espaços não têm limites físicos nem existe tempo existe uma separação do tempo e do espaço real para uma outra dimensão virtual.
O que caracteriza a cibercultura é a indistinguibilidade entre anjos fadas e sereias e imagens quotidianas existe a questão de não se saber onde começa o homem e acaba a máquina.
O espaço virtual sintetiza em si todas essas modificações: é ele, simultaneamente, um espaço alternativo ao espaço da vivência humana e uma extensão desse espaço.
O sujeito da vivência virtual é desprovido de corpo.
O campo noológico torna-se universal e o virtual a única realidade nasce a inteligência colectiva onde os saberes são partilhados tornado o conhecimento mais complexo ciberespaço promove a igualdade de oportunidades mas apenas em relação aos objectivos estratégicos universais são exluidos todos os que não fazem parte da rede países pobres deficientes na informação e de possibilidades de comunicação.
A percentagem de taxa de utilização de Internet a nível mundial é de apenas 5%.

O ciberespaço radicaliza a racionalidade do espectáculo; nele, o indivíduo torna-se espectador
Onde a sua interactividade é livre e total O ciberespaço radicaliza o quadro civilizacional que se apresenta como uma ausência de valores onde a veracidade é colocada em causa.

<< Home

Ficha 2 2º Parte

A escritora Luísa Costa Gomes é directora da revista "Ficções". A "Ficções" é uma publicação semestral de contos editada pela Tinta Permanente. Um exemplo único no nosso país. Desde 2002 que tem um "site" na Internet (de que aqui já falámos nessa altura) mas agora a novidade é que, com o apoio do Instituto Português do Livro e das Bibliotecas e com a participação inicial do Projecto Vercial da Universidade do Minho, vão realizar um projecto pioneiro na divulgação do conto clássico e contemporâneo (pelo menos em Portugal), constituindo a primeira Biblioteca Online do Conto. Será a primeira biblioteca de textos integrais "on-line" em português e "numa primeira fase, o objectivo é colocar 'on-line' um extenso rol de contos e novelas portugueses do século XIX, bem como a quase totalidade dos contos contemporâneos encomendados pela e publicados na revista 'Ficções' ao longo destes quatro anos. Como objectivo final, a 'Ficções' quererá constituir uma Biblioteca Universal do Conto, disponibilizando textos integrais e traduções fidedignas da literatura universal", explica Luísa Costa Gomes. "Pensamos não ser necessário enfatizar a importância desta iniciativa para todos os que falam e estudam português no mundo inteiro. Colocar 'on-line' estes contos, numa edição revista, integral e credível, é tornar acessíveis aos estudantes e leitores que usam a Web, alguns textos muito importantes da nossa cultura", acrescenta. Neste momento, já podem ser consultados no "site" alguns dos contos que já fazem parte da biblioteca e que foram revistos tipograficamente. (…) E claro, contos de Camilo, Eça, Aquilino, Sena, Fernando Cabral Martins, Teresa Veiga, Mário de Carvalho, Maria Velho da Costa, Hélia Correia, Agualusa, Machado de Assis, Luísa Costa Gomes, Ramalho Ortigão, Jaime Rocha, entre outros. Aguarda-se o desenvolver do projecto com expectativa.»in Mil Folhas, Público 29.01.05«A notícia de que a Nokia se prepara para lançar um novo telemóvel 3G não foi ainda confirmada pela marca. Mas os rumores que circulam em sites e fóruns sobre o assunto dão cada vez mais credibilidade ao novo Nokia 6680. O O2 foi um dos primeiros sites a anunciar a chegada do Nokia 6680, um telemóvel com tecnologia UMTS, isto é, de 3ª geração. O novo dispositivo da Nokia vem equipado com duas câmaras, uma para fotografar e outra para filmar, que oferece todas as funcionalidades de vídeo-chamada. A resolução é de 1.3 megapixeis e a interface deverá ser semelhante aos restantes telemóveis da série 60. De acordo com os mesmos rumores, há ainda a possibilidade de vir a ter um sistema de menus 3D. Quem estiver interessado pode adquiri-lo a partir de amanhã, segundo o mesmo site (O2) que também vai comercializar o telemóvel. A mesma notícia foi também avançada pelo Engadget e pelo Inquirer, citando o O2. Resta agora a confirmação por parte da Nokia, acerca do novo 6680, cuja imagem também já é conhecida.»in Cibéria, 02.02.05

<< Home

Ficha n.º 2 (2ª parte)

"Inteligência corporal-cinestésica em alunos de escolas de futsal"

O presente estudo teve como objetivo verificar os níveis de inteligência corporal-cinestésica em alunos de escolinhas de futsal. Constituíram a amostra 21 meninos de 10 a 13 anos participantes de escolinhas de futsal da cidade deSanta Maria - RS. Como instrumento de avaliação utilizou-se uma bateria de testes proposta e validada por Xavier (1998) e, em seguida, aplicou-se uma estatística descritiva com média e desvio padrão e um teste de correlação entre os índices de inteligência corporal-cinestésica e o tempo de prática de futsal. Destaca-se os seguintes resultados: os alunos de escolinhas de futsal possuem uma boa inteligência corporal-cinestésica sendo que os níveis de inteligência corporal-cinestésica aumentaram proporcionalmente com a idade. Não houve correlação estatisticamente significativa entre o tempo de prática do futsal e os índices de inteligência corporal-cinestésica.

<< Home

Ficha n.º 2 (2ª parte)

«A escritoraLuísa Costa Gomes é directora da revista "Ficções". Essa revista, é uma publicação semestral de contos editada pela Tinta Permanente. Um exemplo único no nosso país. Desde 2002 que tem um "site" na Internet (de que aqui já falámos nessa altura) mas agora a novidade é que, com o apoio do Instituto Português do Livro e das Bibliotecas e com a participação inicial do Projecto Vercial daUniversidade do Minho, vão realizar um projecto pioneiro na divulgação do conto clássico e contemporâneo (pelo menos em Portugal), constituindo a primeira Biblioteca Online do Conto. Será a primeira biblioteca de textos integrais "on-line" em português e "numa primeira fase, o objectivo é colocar 'on-line' um extenso rol de contos e novelas portugueses do século XIX, bem como a quase totalidade dos contos contemporâneos encomendados pela e publicados na revista 'Ficções' ao longo destes quatro anos. Como objectivo final, a 'Ficções' quererá constituir umaBiblioteca Universal do Conto, disponibilizando textos integrais e traduções fidedignas da literatura universal", explica Luísa Costa Gomes. "Pensamos não ser necessário enfatizar a importância desta iniciativa para todos os que falam e estudam português no mundo inteiro. Colocar 'on-line' estes contos, numa edição revista, integral e credível, é tornar acessíveis aos estudantes e leitores que usam a Web, alguns textos muito importantes da nossa cultura", acrescenta. Neste momento, já podem ser consultados no "site" alguns dos contos que já fazem parte da biblioteca e que foram revistos tipograficamente. (…) E claro, contos de Camilo, Eça, Aquilino, Sena, Fernando Cabral Martins, Teresa Veiga, Mário de Carvalho, Maria Velho da Costa, Hélia Correia, Agualusa, Machado de Assis, Luísa Costa Gomes, Ramalho Ortigão, Jaime Rocha, entre outros. Aguarda-se o desenvolver do projecto com expectativa.»

«A notícia de que aNokia se prepara para lançar um novo telemóvel3G não foi ainda confirmada pela marca. Mas os rumores que circulam em sites e fóruns sobre o assunto dão cada vez mais credibilidade ao novoNokia 6680. OO2 foi um dos primeiros sites a anunciar a chegada do Nokia 6680, um telemóvel com tecnologia UMTS, isto é, de 3ª geração. O novo dispositivo da Nokia vem equipado com duas câmaras, uma para fotografar e outra para filmar, que oferece todas as funcionalidades de vídeo-chamada. A resolução é de 1.3 megapixeis e a interface deverá ser semelhante aos restantes telemóveis da série 60. De acordo com os mesmos rumores, há ainda a possibilidade de vir a ter um sistema de menus 3D. Quem estiver interessado pode adquiri-lo a partir de amanhã, segundo o mesmo site (O2) que também vai comercializar o telemóvel. A mesma notícia foi também avançada pelo Engadget e pelo Inquirer, citando o O2. Resta agora a confirmação por parte da Nokia, acerca do novo 6680, cuja imagem também já é conhecida.»

<< Home

Ficha n.º 6

"Will blogs kill old media?" feita na revista Newsweek.

A minha opinião em relação ao desaparecimento dos media com o aparecimeto dos blogs, é de facto muito subjectiva. com o aparecimento da netgeneration, cada vez mais irão desaparecer os jornais e as revistas que se vendem nas papelarias porque as pessoas escusam dir comprar esses artigos porque basta navegar nos blogs que são actualizados de minuto em minuto para puder aceder as noticias do dia-a-dia e a todas as informações que são fornecidas em todos esses artigos sem sairem de casa e é menos um custo monetário para a civilização já que as novas tecnologias em que a soceidade está inserida é de custo menor e tem uma boa visuaização para todas as pessoas que usam esse tipo de suporte para ter acesso a todas essas informações. Se os old media forem os suportes que temos para pudermos ter comunicação como por exemplo a radio, a televisão, os telemóveis, etc, pudemos dizer que nos ajudam em termos de evolução porque a nivel destes suportes, todos eles tem um blog o tem uma página digital na Internet, por isso podem serem considerados importantes para a evolução dos blogs. Ou seja, a minha opinião sobre os media tradicionais, é que eles tenderão a serem esquecidos porque as pessoas serão mais actualizadas através da netgeneration em que a civilização está em combinação com a netcitizen. A netcitizen, é um nome que se dá aos cidadãos que utilizam a Internet e que colocaram os media tradicionais a beira do abismo que foram resultados das novas tecnologias através da netgeneration (geração net).

<< Home

13.6.05

ficha de trabalho nº2

Zenden desejado pelo Benfica



O internacional holandês Boudewijn Zenden é o primeiro alvo de Ronald Koeman para reforçar o plantel doBenfica. O jogador, que completa 29 anos a 15 de Agosto, termina contrato com o Middlesbrough no final do mês, estando livre para decidir o futuro.Zenden encaixa nos planos dos encarnados, que pretendem reforçar-se com dois ou três médios. Polivalente, faz todos os lugares do flanco esquerdo. Também actua como extremo-direito. Além disso, a sua experiência pode ser útil para o ataque à Liga dos Campeões.Contactado por Record, o pai e representante do futebolista, Pierre Zenden, reagiu de forma comprometedora, quando questionado sobre o interesse das águias. "Não posso dizer nada. Muita coisa aconteceu na última semana. Não posso dizer nada. Temos de esperar", disse.Mas acabou por confessar simpatia pelo nosso país e pelos encarnados. "Claro que Portugal é um bom país para ele. Esteve aí no Europeu, Portugal tem bom futebol, agradável de ver, e jogadores tecnicistas", referiu, acrescentando: "O Benfica tem um treinador de 'top' e é um bom clube."

<< Home

Ficha de trabalho nº 8

Diário de Coimbra

www.diariocoimbra.pt

Um jornal diário que chega aos quatro cantos do mundo, com sede em Coimbra e que retrata de notícias da cidade, nacionais e internacionais, possui ainda um complemento que são os classificados. Estes componentes estão presentes no jornal tradicional, mas também no jornal electrónico. O jornal electrónico permite à pessoa aceder à hora que quiser através de casa, do seu local de trabalho, de qualquer sítio basta ter um computador com ligação à Internet. No site do Diário de Coimbra o utilizador pode interagir, deixar opinião sobre diversos assuntos, pesquisar qualquer notícia por temas ou interesses, pode ainda pesquisar nos “Classificados” que são um complemento deste jornal. O Diário de Coimbra é actualizado sempre que existam noticia que se enquadrem no âmbito do jornal, oferecendo a todos os utilizadores as informações de ultima hora.
Com estas vantagens do jornal electrónico e a liberdade de acção e interactividade enquanto consulta do jornal é obvio que o jornal tradicional tem tendência a desaparecer pois as desvantagens são muitas para o seu rival - o jornal electrónico.



<< Home

Ficha de trabalho nº 6

Will Blogs kill old media?


Todos os media, jornais, revistas e livros, são facilmente transponíveis para o ambiente on-line. E, em Portugal, há já muitos jornais on-line, que na generalidade dos casos são uma mera transposição das edições em papel. O que mostra que os media estão cada vez mais atentos à sociedade digital e à importância da Internet. Mas há já alguns casos, ainda pontuais, de media que estão presentes apenas na Internet. Têm uma nova gestão de informação, com interactividade com os utilizadores, que têm acesso a um número ilimitado e sempre crescente de conteúdos. Há um novo fluxo de informação, novos paradigmas, bases de dados inteligentes. E o futuro será cada vez mais este, o que traz grandes ameaças para os grandes grupos tradicionais de comunicação, mas simultaneamente, muitas oportunidades, se estes souberem acompanhar e responder às exigências da Sociedade digital. Muitas empresas estão a sucumbir às dificuldades suscitadas pela Internet e pelo comércio electrónico. Há que ter, cada vez mais, uma "visão empresarial on-line" coerente.
A Internet é, cada vez mais, a arma de combate do consumidor. Os consumidores serão cada vez menos tolerantes. Querem mais conveniência, mais rapidez, mais possibilidade de comparar, mais serviços, melhores preços. E os clientes não querem produtos, querem soluções.
E há milhares de micro-mercados a serem explorados. Desde que se tenha em atenção que se está a dar uma inversão do circuito tradicional. Ou seja, temos agora consumidor-marketing/vendas/distribuição-produtor. O poder da distribuição será substituído pelo poder da pesquisa on-line. Os Blogs também dão poder a todos os seus utilizadores no campo da política e da economia, não ficando estes temas reservados a colunistas de jornais ou personagens publicas na televisão, cada utilizador tem o poder de usar e dizer a sua opinião acerca de todo o mundo. Os Blogs serão deveras importantes para quem os souber utilizar.

<< Home

Ficha n.º 5

Tema: Futsal
As pesquisas que efectuei foram as seguintes:

- google
- pt bloggers

De todos os weblogs que pesquisei e que encontrei, aqui estão alguns que se destacaram:

- http://www.sofutsal.blogger.com.br/:
Descrição:
Este weblog é o mais completo de todos já que os jogadores de todos as equipas de futsal participam em conjunto com os utilizadores deste blog a puderem por as suas teorias e suas capacidades e todas as informações de futsal.

- http://www.jornalfutsal.blogger.com.br/:
Descrição:
Este é simplesmente fantástico porque tem uma 1ª página muito bem feita. Deve ser o mais consultado já que nos dá várias informações como as datas dos jogos, os vários campeonatos de futsal e ainda uma coisa muito boa que este weblog é que podes ver as entrevistas dadas aos jogadores de futsal.

- http://coisasdofutsal.blogspot.com/:
Descrição:
Este blogger tem como uma das caracteristicas muito diferente dos outros weblogs é que dá-nos grandes informações do futsal internacional e ainda tudo o qyue se passa em redor desse desporto, ou seja, para além do que se passa dentro das quatro linhas de cada pavilhão onde é praticado o futsal.

- http://claudiafutsal.blogspot.com/:
Descrição:
A única descrição que eu acho que basta constatar deste weblog é que é feito por uma rapariga apaixonada do futsal chamada Claudia.

A minha opinião sobre estes blogs é que todos eles são muito bem feitos a nivel de estrutura em que a infomação que nos dão sobre este tema estão muito bem esquematizadas e com um conteúdo muito bom.
Venham sentir a paixão do futsal...Este desporto está a revolucionar o futebol!!!


<< Home

12.6.05

Ficha n.º 8

www.ojogo.pt

Este jornal electrónico permita-nos acedé-lo através da Internet sem sair de casa bastando ir ao site www.OjogoOnline.pt. este site tem o conteúdo da 1ª página desse jornal e ainda contem vários links como por exemplo, saber informações sobre outras modalidades, todas as informações de todos os clubes da SuperLiga, da Segunda Liga de Honra e ainda dos outros campeonatdos todos de outros clubes, como calendários das jornadas, inquéritos...Enfim, dá-nos todas as informações que o jornal em si contem só que não é preciso de sair de casa para puder ter o acesso a todas essas informações.
A minha opinião sobre os media tradicionais e os novos media é que os tradicionais vão tender a desaparecer porque os novos media, através da internet, tornam as informações mais rápidas e ter as informações novas na hora já que esses sites são actualizados de 5 em 5 minutos. Agora só nos resta adaptar ao jornal Online já que nos traz grandes vantagens sem sair de casa!!!

<< Home

Ficha n.º 4

Assunto: Sport Lisboa e Benfica


Pesquisa efectuadas nos sites:
- www.google.pt;- www.sapo.pt;- www.sl-benfica.com.
Alguns weblogs sobre o Sport Lisboa e Benfica:- http://21ng.blogs.sapo.pt/arquivo/566908.html;- http://blogs.prof2000.pt/magno/index.php?p=5;- http://www.blogger.com/profile/4099107.
Estádio do S.L.Benfica:



<< Home

11.6.05

Ficha nº 8

O site que escolhi é o Jornal Correio da Manhã.

Correio da Manhã

Penso que o jornal electrónico é muito mais vantajoso do que o jornal tradicional.
Porque o jornal electrónico permite à pessoa aceder a ele à hora que quiser através da sua casa do seu local de trabalho, de qualquer sítio basta ter um computador com ligação à Internet.
No caso do Jornal Correio da Manhã electrónico as noticias, são actualizadas sempre que surgem notícias novas onde temos um link que tem escrito ultima hora são as ultimas notícias, mas as mais recentes também aparecem na página inicial.
Temos diversos links que nos levam directamente ao que pretendemos como por exemplo os classificados, horóscopo, etc.
Temos uma caixa de pesquisa onde podemos escrever o que pretendemos ver e somos levados logo ao que pretendíamos mas se não soubermos bem o que queríamos ver temos a possibilidade de fazer uma pesquisa avançada.
Possui a possibilidade de um registo de dados pessoais para recebermos diariamente a edição do Correio da Manhã electrónico no nosso e-mail.
Temos vários links de notícias dos quais se quisermos ver notícias de Portugal temos um, sobre economia outro, politica, desporto, cultura, etc. somos direccionados logo para o que escolhermos.
Temos links de acesso às revistas do Correio da Manhã.
Podemos visualizar a capa do Correio da Manhã tradicional.
Quando entramos no site aparece-nos as notícias de variados temas como por exemplo actualidade, desporto, politica, etc., as mais importantes mas só os títulos se quisermos ver as noticias completas basta clicar em cima do título e somos direccionados logo para a notícia completa.
Podemos também colaborar nas sondagens que são feitas sobre os diversos temas.
Com estas potencialidades todas que a pessoa tem no jornal electrónico como de liberdade de acção e interactividade enquanto consulta o jornal é obvio que o jornal tradicional tem tendência a desaparecer porque não tem a possibilidade de dar ao leitor a liberdade e a interacção que o jornal electrónico oferece ao leitor.

<< Home

Ficha Nº 3

Apesar de serem conceitos distintos – CIBERCULTURA e CIBERESPAÇO serem conceitos distintos e diametralmente opostos estes dois conceitos não se podem separar, bem como da mesma forma não se podem relacionar entre si.
Neste contexto a Internet não pode ser descrita como algo individual, mas sim como uma plataforma para grandes descobertas.
Com a criação do ciberespaço as barreiras que existiam e existem apenas passaram a não ser visíveis e foi neste momento que se atingiu o expoente máximo da liberdade com a livre troca de comunicações em todo o planeta.
Esta evolução, como é óbvio, não apresentou apenas coisas positivas, trouxe contudo também a possibilidade de este conhecimento e esta informação serem utilizados em situações menos correctas, nomeadamente em actos ilícitos.
No momento da adesão á cibercultura uma pessoa deixa de existir enquanto indivíduo com personalidade própria, dono de um corpo e de uma imagem e passa apenas a ser um nome, que na maior parte dos casos até é inventado.
No século XXI uma pessoa não comunica directamente com a outra e a possibilidade de comunicar com todas torna o utilizador apenas “ mais um”.
A criação do ciberespaço que supostamente diminuiria a diferença entre os povos mais ricos e os mais pobres considerando que haveria uma maior partilha de informação e consequentemente um maior conhecimento, ficou ainda mais acentuada pois em minha opinião não é do seu interesse que se desenvolvam demasiado.

<< Home

ficha nº8

O jornal digital que escolhi para apresentar foi o Portugal Diário.
Este jornal é-nos apresentado um pouco á semelhança de outros jornais similares como o Diário Digital ou o Jornal Digital. Ou seja tem uma home page onde nos é logo á partida oferecido tanto uma grande quantidade de informação como de publicidade.
Este site possui uma barra de menus do IOL pois trata-se de um jornal que pertence ao grupo Médiacapital, assim como um motor de busca com a opção de pesquisar por temas no site, ou através do Google. Existe ainda uma barra de menus onde se pode aceder directamente a vários temas como a politica, sociedade, internacional, cultura, desporto e economia, assim como outro menu logo por baixo do anterior onde se pode encontrar outras informações, por exemplo dados sobre os colunistas, os especiais, os exclusivos ou sobre os leitores, este ultimo menu com um fórum, um chat e um espaço destinado aos leitores onde estes podem publicar as suas opiniões. Os títulos das notícias são apresentados com hiperligações que nos encaminham para o corpo da notícia. E é aqui que surge a principal diferença nomeadamente em relação aos chamados media tradicionais. Ou seja é-nos dada a opção de escolha. Podemos optar pelos temas com que mais nos identificamos. Coisa que não acontece nos old media, onde somos muitas vezes confrontados com informação que não nos interessa minimamente. Outro aspecto a ter em conta é a actualidade das noticias que é feita quase ao minuto e que nos mantem sempre actualizados. (Por exemplo um jornal quando sai para as bancas, as vezes, já sai com noticias desactualizadas, e na televisão e rádio isto também pode acontecer) no entanto no jornal digital há uma actualização constante o que torna as noticias mais credíveis. Outra vantagem é o facto de muitas vezes as noticias terem hiperligações para outros sites onde é complementado o conteúdo da notícia ou onde são tratados assuntos que nos ajudam a perceber melhor o assunto.
Penso que apesar de haver sempre pessoas que vão preferir desfolhar um jornal, a longo prazo, e com a quantidade de serviços que cada vez mais nos são disponibilizados pelos operadores de telecomunicações e com o avanço tecnológico, um dia vamos ler as noticias não no papel, mas sim no PDA ou no telemóvel.

<< Home

ficha nº 6

Will blogs kill old media?

A evolução das novas tecnologias ao longo das últimas décadas, trouxe consigo um novo e inovador sistema de informação: a Internet. A partir dela podemos navegar em qualquer hora em qualquer lugar ou parte do mundo ao mesmo tempo a uma rapidez incrível de forma autónoma e completamente interactiva.
Podemos adquirir todo o tipo de informação (notícias e publicidade, desporto, política, artes, espectáculos, ciências, cultura, compras, saude, educação, tecnologia...) e navegar por todos os espaços públicos( forúns, chat's, e-mails, sites, e neste caso blogs, entre outros)
A verdade é que a internet veio revolucionar o acesso e a qualidade da informação pois é sempre dada em primeira mão . Ao passo que em relação aos old media ( tv, radio, imprensa) a informação é dada e hierarquizada segundo as entidades respectivas. O acesso aos old media é de modo tradicional como ir comprar um jornal ao quiosque pela manhã.
Cada vez mais a internet é usada por um número considerável de utilizadores e a faixa etária ronda principalmente a idade jonvem e adulta(netgenation e netcitizen), no entanto continuam a ser muitos os que não a frequentam pelo mundo inteiro talvez por falta de informação, mas necessariamente por falta de formação tecnologica e digital.
Assim afirmo que os old media vão permanecer enquanto a internet não atingir o auge da tv, da rádio e da imprensa, e enquanto não fizer parte do quotidiano dos cidadãos. Por outro lado os meios de comunicação já sentiram o evoluir deste sistema e assim também adriram à informação digital, colocando os seus sites na internet de forma a que a audiência permaneça.
Apesar de tudo, directa ou indirectamente a internet está presente nos nossos dias,mesmo que não sejamos utilizadores por exemplo através dos telemovéis, através das empresas públicas e privadas a que acedemos, nos hospitais, nas escolas, entre outros exemplos.
Particularmeste em Portugal os blogs não vão destruir os antigos meios de comunicação pois a nossa sociedade é uma sociedade tradicionalista e agarrada aos costumes que se transmitem de geração em geração. Porém defendo inteiramente quem é apologista das novas tecnologias e com elas melhorar a vida e o futuro de todos nós.

<< Home

10.6.05

Ficha nº8

O site que escolhi para apresentar foi o de informação desportiva
Jornal A BOLA




www.abola.pt

O site criado pelo jornal A Bola é uma fonte credível de informação e que proporciona ao utilizador toda a liberdade de acção e interactividade enquanto consulta a sua página. Todo o conteúdo do site está direccionado para o utilizador, ou seja:

1-Possui a possibilidade de um registo de dados pessoais de forma a que em futuros acessos haja um tratamento personalizado;

2-Ao registar-se o utilizador introduz os seus temas preferidos, inclusive se pretende receber, diariamente, uma newsletter, sobre os seus temas preferidos;

3-O site está estruturado em várias barras de acesso directo, nas quais pode optar por:
Aceder á edição do dia, notícias na hora, Superliga, Mundial 2006, várias modalidades, Jogos Olímpicos, classificações internacionais, entre outros;
Além disso, também é possível aceder a sondagens, chat´s, promoções, histórico, colunistas, entre outros;

4-Neste jornal on-line também é possível visionar as diversas notícias, sendo elas do dia ou passadas; adquirir informação sobre a prestação da selecção portuguesa na qualificação para o Mundial de 2006, etc.

Qualquer destas opções possibilita conexões para uma página que pormenoriza toda a informação seleccionada, ou seja, qualquer notícia tem na página principal um texto descritivo e ao ser "clickado", acede de imediato à notícia por inteiro, isto é, permite essa liberdade de opção ao leitor on-line.

Nos média tradicionais, para termos acesso a esta informação, temos de fazer um longa e dura pesquisa e nem todos os media têm estes serviços disponíveis. Sendo assim, é bastante complicado termos acesso a programas, notícias ou reportagens antigas, o que leva muitas pessoas a optarem por aceder a este tipo de sites, pois facilmente encontram esses tais artigos e/ou reportagens que tanto procuravam.

O único media tradicional que consegue cativar a atenção de muitas pessoas é a televisão, pois junta imagem em movimento e som, e consegue manter-se constantemente actualizada, tal como a internet.

Em suma, posso afirmar que todas estas capacidades existentes no Jornal A Bola, reflectem a distinção para os old media, ou seja, com a verdadeira dimensão da Internet em constante aumento de velocidade; com a possibilidade de um acesso interactivo e dinâmico, combinado com elementos audiovisuais e textuais atractivos cada vez mais os old media caiem em desuso, passando o seu espaço mediático e os seus modos de acesso à informação jornalística a direccionarem-se para a informação on-line.É esta a sociedade de informação em que estamos inseridos e neste momento SÓ NOS RESTA ADAPTAR A ELA!!!






www.abola.pt



<< Home

8.6.05

Ficha Nª6

Will Blogs Kill Old Media?


Depois de ler o artigo da revista "Newsgroup", na qual fala sobre a hipótese dos blogs "assassinarem" as velhas instituições de informação é cada vez mais evidente que as pessoas procurem outras formas de não só lerem as notícias do dia a dia, como também poder dar a sua opinião acerca delas.
Visto que hoje em dia, as pessoas estão mais ligadas á Internet, é compreensível que estas "desliguem-se" dos outros meios de comunicação, isto é, cada vez mais as pessoas utilizam a net para as mais diversas tarefas, visto que este meio de comunicação já faz parte da sua vida. Podemos então dizer que aos poucos, e à medida que mais e mais pessoas participam da Internet, a gigantesca rede global de computadores fica parecida com uma sociedade de verdade. Até já existe o termo "netcitizen" em inglês, ou cidadão da Net.
Para além disto, posso afirmar que desde que apareceu a Internet, as pessoas estão cada vez mais familiarizadas com ela, isto é, hoje em dia, não só em casa, empresas ou até mesmo nas escolas, a net já faz parte da vida quotidiana, o qual posso afirmar que estamos numa geração extremamente dependente da net, na qual se dá o nome de netgeneration.
Em suma, posso concluir, que cada vez mais as pessoas se interligam e/ou associam á net para as mais diversas questões, mas isso não quer dizer que os outros meios sejam esquecidos pois há muita gente que não deixa de ver televisão ou ler o seu jornal em virtude de ir á net. No que diz respeito aos blogs, penso que estes são importantes pois podemos desfrutar das nossas opiniões, mas decerto que não vão substituir as velhas "escolas" de informação e opinião.

<< Home

7.6.05

Ficha nº6

Will Blogs kill old media?



Será que os Blogs vão mesmo acabar com os media tradicionais?



Mas o que são então os Blogs? Blog é simplesmente o diminutivo de web log. Pode-se definir Blogs como uma página web que é actualizada frequentemente, composta por pequenos parágrafos apresentados de forma cronológica. É como uma página de notícias ou um jornal que segue uma linha de tempo com um facto após o outro. O conteúdo e temas dos Blogs abrangem uma infinidade de assuntos que vão desde diários, piadas, links, notícias, poesia, ideias, fotografias, enfim, tudo que a imaginação do autor permitir. E média tradicionais podemos dizer que são os meios de comunicação mais antigos, como a rádio, a televisão, os jornais e outro tipo de publicações.

Segundo o artigo da newsweek, Dave Winer, director de uma empresa de software de blogs estimava que em 2007 haveriam mais pessoas a ler noticias ou artigos dos blogs do que do New York Times. E para isso iam contribuir os cerca de 40 000 blogs activos que existem. Mas será que os media tradicionais estão então condenados a desaparecer?

Penso que não. Apesar da era de informatização em que vivemos, não podemos analisar as coisas desta maneira. Porque apesar do mundo estar em constante mutação, e os progressos no campo da informática serem constantes, os chamados media tradicionais não estão parados no tempo! Tem vindo a adaptar-se. E a prova disso são as televisões que emitem sinal em formato digital, as rádios online os jornais digitais, onde se podem saber as últimas notícias na hora em que elas acontecem. Ou seja está a haver uma adaptação gradual ás novas tecnologias e as novas exigências das pessoas. Até porque os leitores de amanha vão ter perfis e exigências completamente diferentes das de hoje. Não acredito que os grandes grupos económicos que estão por trás dos media deixem que o seu poder se esfume assim sem mais nem menos, e que assistam ao declínio dos seus impérios sem tomarem providencias. Assim penso que num futuro não muito longínquo o papel do jornal até poderá dar lugar ao LCD, e emissão de televisão a um misto de programas online misturados com páginas de internet. Os media podem até ter outras designações, mas acho que serão os mesmos grupos financeiros que estarão por trás! “Nada se cria e nada se perde de tudo se transforma!”



<< Home

Ficha nº1

Qual é a morada e o número de telefone do Casino da Figueira da Foz?-Figueira da Foz. Telefone:. (+351) 233 408 400. Quem é o reitor da Universidade Nova de Lisboa? Doutor Leopoldo Guimarães Com que equipa vai jogar a Académica na última jornada da Superliga? F.C.PortoIndique um filme que tenha estreia agendada para este mês de Março ? 800 Balas Em que data nasceu o escritor moçambicano Mia Couto?1955Onde posso comprar bilhetes através da Internet para assistir ao espectáculo "Disney on ice - aventuras na selva", em cena no Pavilhão Atlântico, em Lisboa? Qual é o preço dos ingressos?http://www.plateia.iol.pt/Quando começa no site de formação em regime de elearning Evolui.com o próximo curso em e-Commerce? Como se chama o formador? João Miguel Silva 9 de MaioQual é o preço por um quarto single no Hotel Astória, em Coimbra, para as férias da Páscoa?84 euros€Qual é o horário do Museu da Fundação de Serralves, no Porto?Terça a Quinta: 10h00 às 19h00Sexta e Sábado: 10h00 às 22h00Domingo e Feriados: 10h00 às 19h00 (Outubro a Março)Domingo e Feriados: 10h00 às 20h00 (Abril a Setembro)

<< Home

Ficha nº 5

Os motores de busca que utilizei foram:
google
aeiou

Os weblogs que destaco são os seguintes:

slb
Sport Lisboa e Benfica. Fotografias, Textos e Historial do Glorioso Sport Lisboa e Benfica. Memorial e Registo Fotográfico do antigo e do novo Estádio da Luz, Equipas de Futebol, etc.

futebol-online
Blog dedicado à paixão do Futebol: pequenas notícias, comentários, sondagens, etc...

relvado.com

O Relvado.com é o weblog direccionado para o futebol que se "mostra" mais isento, faz um relato diário de todas as situações que se destacam no futebol português, os momentários ao artigos apresentados são da responsabilidade dos intrevenientes e são sempre muito concorridos.

futeboldeataque
Aqui não se joga para o zerozero.


Conclusão:
Fiquei surpreendido com os enumeros sites que se pode encontar acerca deste tema.

<< Home

Ficha de trabalho nrº8

O site que escolhi, que é exclusivamente digital foi: http://diariodigital.sapo.pt/.

Este site, contêm bastante publicidade interactiva, actualização hora a hora e uma boa organização de temas, uma vez que se encontram todos divididos. Através de um simples click numa imagem de publicidade, podemos aceder ao site da empresa, ou através de um click no excerto da notícia, podemos aceder á notícia completa. Temos também acesso aos arquivos, ou seja, podemos ver edições anteriores que remontam até Janeiro de 2001. Existe também um motor de busca do sapo, uma vez que o diário digital se encontra associado ao sapo. Uma novidade em relação aos meios de comunicação tradicionais, é, por exemplo, a fotografia dos colunistas e do editor, esta é uma forma de aproximar mais os leitores dos profissionais de comunicação digital, familiarizando os leitores do diário digital.
Os serviços disponíveis também estão bem especificados e são muito variados, desde webmail, chat, e-diário, newsletter, passando por ticker notícias, WAP e PDA. Nos média tradicionais, para termos acesso a estes serviços temos de fazer um longa e dura pesquisa e nem todos os media têm estes serviços todos disponíveis. Nos media tradicionais, é também bastante complicado termos acesso a programas, noticias ou reportagens antigas, o que leva muitas pessoas a optarem por aceder a este tipo de sites, pois facilmente encontram artigos antigos.
Todavia, grande partes dos meios de comunicação tradicionais também optaram por se servirem da internet e disfrutarem dos seu potencial. Por isso, criaram sites, bastante atractivos.
O único media tradicional que consegue cativar a atenção de muitas pessoas é a televisão, pois junta imagem em movimento e som, e consegue manter-se constantemente actualizada, tal como a internet.

<< Home

Ficha 8

Ficha 8

www.diariodigital.sapo.pt

O jornal electrónico que escolhi para apresentar como jornal electrónico exclusivamente digital é o Diário Digital
O jornal electrónico em minha opinião é mais vantajoso comparando-o com os media tradicionais, com o jornal electrónico uma pessoa não necessita de sair de casa, ou do seu local de trabalho para se manter informado com as ultimas noticias do dia.
Assim que abrimos um jornal electrónico, neste caso o Diário Digital, temos logo á disposição diversos links para os mais variados tipos de noticias, politica, desporto, sociedade, etc. Penso que os novos media são mais vantajosos que os media tradicionais de uma maneira geral, pois oferecem-nos a possibilidade de aceder apenas e so á informação desejada permitindo também assim uma selecção da informação de modo a que o utilizador encontre mais rapidamente o que procura. Este jornal electrónico, o Diário digital é um jornal que tem actualizações automáticas mais ou menos de 5 em cinco minutos permitindo assim ao utilizador estar sempre actualizado com as ultimas noticias.
Em minha opinião os media tradicionais tendem a perder cada vez mais terreno em relação aos novos media.

<< Home

Ficha Nº8

Irei apresentar o site de informação desportiva do Jornal Record

www.record.pt

O site criado pelo Jornal Record é uma fonte credível de informação e que proporciona ao utilizador toda a liberdade de acção e interactividade enquanto consulta a sua página.
Todo o conteúdo do site está direccionado para o utilizador, ou seja:

1. Possui a possibilidade de um registo de dados pessoais de forma a que em futuros acesso haja um tratamento personalizado

2. Ao registar-se o utilizador introduz os seus temas preferidos, inclusive se pretende receber, diariamente, uma newsletter, sobre os seus temas preferidos.

3. O site está estruturado em várias barras de acesso directo, nas quais pode optar por:
Aceder à modalidade, clube, ou secção que pretende.
Visualizar as notícias do dia, informação minuto-a-minuto
As notícias mais importantes do dia
Promoções do jornal
Sondagens
Capa do Jornal

Qualquer destas opções possibilita conexões para uma página que pormenorizada toda a informação seleccionada, ou seja, qualquer notícia têm na página principal um texto descritivo, e ao ser clickado, acede de imediato à noticia por inteiro, permite essa liberdade de opção ao leitor on-line.

Todas estas capacidades, excelentemente, utilizada no Record on-line, reflectem a distinção para os old media, neste momento, e com a verdadeira dimensão da Internet em constante aumento de velocidade, com a possibilidade de um acesso interactivo e dinâmico, combinado com elementos audiovisuais e textuais atractivos cada vez mais os old media caem de desuso, passando o seu espaço mediático e os seu modos de acesso à informação jornalística a direccionarem-se para a informação on-line.
É esta a sociedade de informação em que estamos inserivos e neste momento SÓ NOS RESTA ADAPTAR A ELA!!!



www.record.pt

<< Home

ficha 8

O site informativo escolhido por mim foi o site da CNN (www.cnn.com).

Com a consulta deste site somos “bombardeados” por informação de todos os campos. O site digital da cnn apresenta-nos logo em grande plano uma série de hiperligações sobre os mais diversos temas sobre os quais podemos consultar consoante o nosso gosto, nos quais pode-mos ver: Mundo, EUA, tempo, negócios, desporto, tecnologia, entre outros. Este site disponibiliza-nos também um motor de busca o que nos permite ter mais interacção no site. Comparando com os media tradicionais a interactividade é bastante maior visto que podemos escolher o que ver e quando ver. Outra das diferenças com os media tradicionais é a actualização das notícias no espaço de pouco tempo. Só durante a realização deste trabalho o site da CNN foi actualizado com diferentes noticias e imagens três vezes. Este tratamento pode ser e é uma vantagem em relação aos old media que apenas actualiza a sua informação uma vez por dia. O tratamento efectua por este site é diferente visto que é um tratamento que pode ser personalizado ao nosso gosto e não como os old media que usam um tipo de tratamento ja esteriotipado. agora bastanos evoluir a par deta novo meio de comunicação!

<< Home

Ficha de Trabalho nº6

"Will blogs kill old media?"

Na minha opinião penso que não. Se considerarmos como old media o jornal, o rádio e a televisão, penso que são meios que conseguem manter a sua estabelidade na nossa sociedade.
Desde o aparecimento das novas tecnologias que existe uma maior interacção do utilizador com os media.
Através da Internet, o utilizador pode aceder à informação a qualquer altura e em qualquer lugar(desde que tenha o seu suporte), já com os mass media a informação transmitida tem um horário.
Os blogs permitem a liberdade de expressão,as opiniões e geralmente são informações não professionalizadas e pensamos até que ponto algumas serão credíveis.
Assim, penso que os blogs complementam os old media na medida que é uma resposta,feeback, por parte do público aos acontecimentos, à actualidade através das suas opiniões.
Além disso verificamos que os old media vão-se adaptando às novas tecnologias (embora estas ainda não estejam acessíveis a todos), através da criação de sites de forma a interagir com o espectador. Temos os exemplos dos canais de televisão, das rádios, e dos jornais que criaram sites.

<< Home

6.6.05

Ficha nº 3

Actualmente o comum utilizador da internet não se apercebe de dois factos muito importantes, a cibercultura e o ciberespaço. Ao longo dos tempos com especial incidência no século XX verificou-se uma grande evolução na qualidade de vida. Poderemos citar vários exemplos de evoluções tecnológicas que trouxeram vantagens à qualidade de vida da sociedade, como por exemplo, a televisão, a Internet, a genética, entre outros. Estes avanços proporcionaram uma maior divulgação da informação e da cultura a todas as civilizações do planeta terra. O ciberespaço é completamente livre de censura possibilita uma anarquia virtual no que diz respeito à forma como as pessoas se podem expressar colocando em causa os mais diversos valores da sociedade. Com a Internet dá-se o fenómeno da comunicação universal, todos podem comunicar com todos e trocar ideias de valores fazendo também ai passar informação na rede. Com a rede o infinito deixa de existir, torna-se possível falar com alguém do outro lado do mundo e ter acesso a informações diversas e acontecimentos variados. O homem desde os seus primórdios tenta ultrapassar barreiras que se pensava intransponíveis e procurar sempre criar novas metas para que o seu saber e a sua cultura possam ser alargados, melhorando também assim o seu nível de vida. No artigo “ Anjos Fadas e Sereias: 12 Teses sobre Cibercultura” é demonstrado isso mesmo, ou seja, a constante procura do homem por novas metas e novos objectivos. É pena que nem todos os povos do mundo possam ter meios de aceder à informação obtendo assim cultura e saber, pois penso que isso poderia proporcionar um desenvolvimento mais igual e justo das diversas sociedades e povos nesta nossa aldeia global.

<< Home

Ficha nº 6

Comentário à questão "Will blogs kill old media?", feita pela revista Newsweek.

Penso que os old media só serão ultrapassados pelos blogs caso queiram.
No entanto para analisarmos melhor a questão teremos de recorrer á história a nível dos media. Desde os anos 80 tem-se vindo a inovar as novas tecnologias, estas têm proporcionado um maior feedback entre os media e entre os utilizadores dos mesmos. Com esta abertura entre o utilizador e os media os utilizadores têm a partir de agora, uma maior facilidade em saber das noticias na hora sem ter que esperar por jornais ou telejornais. Os old media (como é o caso das televisões, jornais e rádio) para que não sejam ultrapassados pelos blogs, fóruns e outros, têm que apenas acompanhar a evolução e proporcionar os mesmos serviços que as novas tecnologias oferecem. Grandes empresas como é o caso das grandes estações de televisão e de jornais a nível nacional e até mesmo as rádios têm-se esforçado para acompanhar esta evolução. Isto implica esforços monetários e humanos o que não esta ao alcance de todos e que muitas pequenas e medias empresas não têm o capital necessário para poderem por exemplo por uma pagina da sua empresa na net. Para que qualquer pessoa possa possuir um blog e evoluir com a tecnologia, estes necessitam de ser gratuitos uma vez que, as pessoas hoje emdia não têm dinheiro e vêm os blogs, a internet e outros como gastos fúteis. Segundo um ultimo estudo feito´apenas 5% das pessoas em todo o mundo usam a Internet. É muito pouco.

<< Home

Ficha nº 5

O tema do meu trabalho é a música electrónica.



Sites utilizados para a pesquisas:

www.google.com
www.tendencia.net

Estes são alguns dos blogs e foruns encontrados:

http://dancefloor.sapo.pt/dfp2/forum/?f=7&m=4759

Este é o forum ideal para qualquer pessoa que trabalhe com musica electrónica, quer seja um principiante ou um profissional. Visitem, actualizem-se e esclareçam qualquer tipo de dúvida.

http://undergroundplanet.blogspot.com



Neste blog podera saber as noticias a nivel nacional sempre em primeira mão. Venha visitar este blog.

http://www.danceplanet.com/forum/index.php

Este forum é muito bom, mas temos que nos registar na página http://www.danceplanet.com, o que assim o maior senão. Mas de resto é excelente, penso que o melhor forum que conheço de musica electronica.

Relativamente a Weblogs temos variadissimos e muito bons:

www.curtocircuito.tv

Neste weblog estão sempre noticias actuais sobre o que se passa no mundo da musica electrónica.

www.plasticsounds.com

Este é considerado "O" weblog da musica electrónica, uma vez que este weblog dedica-se so a venda de produtos para este tipo de musica.

<< Home

Ficha nº 4

<< Home

Ficha nº 2 - 1ª parte

Avetusta Praça Velha de Coimbra encheu-se, anteontem à noite, de luz e brilho e vestiu o seu fato de gala para dar as boas-vindas à moda, ao receber a quinta edição do Coimbra Fashion - uma iniciativa da Associação Comercial e Industrial de Coimbra (ACIC), que pretende dar "projecção à cidade, à região", colocando-as "no panorama da moda nacional". Um convite que tem sido renovado ao longo dos últimos anos mas que, nesta edição, teve atractivos suplementares de peso.

Ao contrário do ano transacto, em que o local escolhido para o desfile de moda foi a Praça 8 de Maio, esta edição ficou marcada pelas excelentes condições que o cenário da Praça Velha (Praça do Comércio) pode proporcionar. Com a românica igreja de Santiago a servir de pano de fundo à Orquestra Clássica de Coimbra, dirigida pelo maestro Virgílio Caseiro, mas também à "passerelle" por onde desfilaram modelos infantis e adultos, numa mostra do moderno pronto-a-vestir que o comércio da cidade tem para oferecer.

E numa cidade marcada pelo romantismo, com a dramática paixão de D. Pedro e D. Inês a servir de mote a uma noite intensa de beleza, visual, mas também dos sentidos, com a Orquestra Clássica de Coimbra a acompanhar as estrofes líricas que Camões dedicou àquela que foi coroada rainha, depois de morta.

Em Ano Inesiano da Cultura, as figuras de D. Pedro e D. Inês, interpretadas pelos modelos Diana Pereira e José Fidalgo, foram presença constante para a multidão que encheu a Praça Velha. A modelo conimbricense vestiu, aliás, modelos que Augustus e Katty Xiomara conceberam, inspirados em D. Inês.

De vestidos de gala, de ténis, calções ou com ousada e sensual lingerie, a beleza das modelos foi sempre acompanhada pela mítica imagem dos dois amantes eternos.

Uma imagem de marca de Coimbra, que a cidade parece querer agarrar de forma vigorosa, dando aos globais tempos de hoje o perfume dos platónicos amores de outrora. No Coimbra Fashion, em nome da moda e do comércio da cidade, a precisar bem de uma nova dinâmica em tempos de crise, mas sempre com os olhos postos na memória colectiva da nossa História, cimentada no capítulo único dos trágicos amores do príncipe e da aia de sua esposa.

E ficou claro que misturar modernismo com música clássica, a que se juntou a soberba voz do tenor Mikahael Gubsky, até pode fazer sentido, quando o que está em questão é enaltecer a beleza do corpo, das vestes, sem esquecer as pedras da velha urbe, da sua História. Afinal, as calorosas palmas do público - seriam cerca de cinco mil os espectadores deste Coimbra Fashion - premiaram a beleza de hoje, mas também a de ontem, a de sempre.

E foi muita a gente que acorreu à Praça Velha vibrando com a ingenuidade traquina dos pequenos modelos, mas também com o profissionalismo dos mais velhos, que vestiram roupas, sapatos e jóias de vinte e duas lojas de Coimbra.

Uma noite plena de glamour, a animar uma zona da Baixa coimbrã que pode encontrar na moda e na cultura fortes motivos para a tão desejada revitalização.

<< Home

4.6.05

bataFicha nº5

Fotografia


O tema que escolhi foi a fotografia e usei como motores de busca, para além do google, o blogo no sapo e o frescos. Há uma grande variedade de blogs onde se fala de fotografia, uma vez que esta é um elemento essencial num blog. No entanto quando os exploramos chegamos á conclusão que não são propriamente sobre fotografia, mas fazem apenas algumas referências á fotografia ou a fotógrafos. Da pesquisa que fiz encontrei alguns blogues interessantes dos quais destaco estes:

Fotógrafos do Mundo



Este blog, para além de ter uma grande variedade de fotógrafos e fotografias, foi o que me pareceu ter uma melhor qualidade gráfica, com fotografias muito boas. muito bom mesmo. Não encontrei referências ao autor, nem citações relevantes. simplesmente há comentários sobre as fotos exibidas.


A Luz Que Desenha Imagens



Neste blog, que nos é ofercido por Jorge Rego, Professor de Fotografia na Escola Secundária Soares dos Reis e no Instituto Cultural D.António Ferreira Gomes no Porto, podemos também encontrar algumas fotos interessantes, assim como informação sobre alguns fotógrafos, entre os quais Sebastião Salgado.



XUPACABRAS




O xupacabras, foi de todos os blogues que encontrei, o mais completo, com uma variedade de fotos e de fotógrafos fabulosa, com um imenso número de links tanto para outros blogues de fotografia, como para páginas de fotógrafos, assim como de revistas e outros relacionados com fotos. No inicio da página tem a seguinte citação: "Nós temos cinco sentidos: são dois pares e meio d'asas." de David Mourão Ferreira. Não há referencias ao autor do blog.


Sabor a Sal


Este é um blog de Margarida Delgado, onde podemos ver fotos tiradas pela própria, que normalmente contêm comentários da autora. O blog tem ainda alguns links para aceder a outros blogs, assim como uma quantidade razoavel de arquivos.

Em conclusão: Apesar de no início ter tido alguma dificuldade de selecção, por causa da imensa variedade de blogs que não tinham muito a ver com fotografia, depois de alguma procura encontram-se muitos blogs sobre o assunto e a procura torna-se muito mais facil devido aos imensos links para outros blogs que nos são fornecidos- por exemplo o Xupacabras tem imensos.

<< Home

3.6.05

Ficha nº3

Anjos, Fadas e Sereias
de: Rui Magalhães

O ciberespaço e a cibercultura só podem ser compreendidos em correlação com o mundo e com o estado da civilização moderna. A Internet não pode ser vista isoladamente, mas em conjunto com alguns dos mais importantes desenvolvimentos tecnológicos do nosso século, nomeadamente, informática e a cibernética e em sintonia com os efeitos sucessivos da modernidade.O ciberespaço é o lugar onde o discurso político perde definitivamente o seu aparente valor ideológico. A geografia das redes (supostamente) descentralizadas radicaliza, de uma forma imparável, os mecanismos da sociedade ocidental, reproduzindo, sem cessar, os princípios, as imagens e os valores dominantes, sem qualquer tipo de violência física e sem o mais ténue vestígio de discurso autoritário. A civilização ocidental pelo menos do ponto de vista dos valores que se apresentam como dominantes, mas que, obviamente são muito mais do que isso sob a forma da simultaneidade enraizada e das imagens criadoras de real, obteve a sua vitória definitiva. O ciberespaço não é o fim das fronteiras, mas sim a invisibilidade das mesmas, de valores e de poderes. É a extensão técnica do mito da liberdade, da democracia. Trata-se assim de uma redução da exterioridade.Os objectos são substituídos por representações de representações. O objecto material é a representação de uma representação. No ciberespaço todos podem comunicar com todos. Mas não existe já verdadeiramente objecto de comunicação. Porque não há exterioridade e porque o indivíduo só existe enquanto inserido em projectos que asseguram a reprodução das instituições. A vida concreta desenrola-se no interior de uma rede de metáforas que só remetem para outras metáforas. O espaço virtual sintetiza em si todas essas modificações: ele é simultaneamente um espaço alternativo ao espaço da vivência humana e uma extensão desse próprio espaço. A rede está povoada de anjos, fadas e sereias; cada indivíduo pode vestir a pele que quiser, pode torna-se anjo, fada e sereia, para os outros e para si mesmo. O sujeito da vivência virtual é desprovido de corpo.Num primeiro momento, o desenvolvimento do ciberespaço acentua o fosso entre países pobres e países ricos. Num segundo momento, começou a tornar possível o acesso à informação por parte dos países pobres, contribuindo, assim, para que estes, apesar das suas deficientes condições económicas, começassem a aproximar-se dos países ricos em termos de informação e de possibilidades de comunicação. Mas esta situação tem o reverso da medalha: seria preciso saber primeiro que a maior parte da informação que circula na rede interessa.Importa sublinhar é que ao colocar a questão da cibercultura, não estamos simplesmente a reflectir sobre um modo de ligação entre os homens e os seus produtos, mas entre os homens e os homens num quadro de poder. Neste momento a rede tende a reproduzir os mecanismos que lhe são exteriores, os modos de viver e de trocar informação, mas será ainda necessário algum tempo para que a rede imponha a sua natureza ao comportamento dos indivíduos.O ciberespaço é um hipertexto aparentemente caótico. No entanto, esse caos constitui uma ordem invisível orientada teleologicamente, isto é, para os seus fins. No ciberespaço, a interactividade ocupa o lugar da acção. O sujeito da acção é a teleologia. O seu objecto é o homem. O ciberespaço radicaliza a racionalidade do espectáculo; nele, o indivíduo torna-se espectador de si mesmo, do seu poder e da sua liberdade. Os ambientes gráficos enquadram o ciberespaço numa ilusão de mundo configurável pelo indivíduo. O ciberespaço "existe" no interior de um espaço virtual acentuadamente gráfico e configurável pelo sujeito. O sujeito pode, assim, organizar e ordenar o cosmos à medida do seu gosto pessoal. O nosso planeta já não é a terra mas sim o Windows (ou o Linux). O ciberespaço radicaliza o quadro civilizacional que se apresenta como uma ausência de valores, pela admissão de todos os valores, sejam eles aceites ou não.

<< Home

1.6.05

ficha nº3

Anjos Fadas e Sereias


Rui Magalhães

O ciberespaço e a cibercultura só podem ser compreendidos em correlação com o mundo e com o estado da civilização moderna. A Internet não pode ser vista isoladamente, mas em conjunto com alguns dos mais importantes desenvolvimentos tecnológicos do nosso século, nomeadamente, informática e a cibernética e em sintonia com os efeitos sucessivos da modernidade.
O ciberespaço é o lugar onde o discurso político perde definitivamente o seu aparente valor ideológico. No exacto momento em que a liberdade atinge o seu ponto máximo. A geografia das redes (supostamente) descentralizadas radicaliza, de uma forma imparável, os mecanismos da sociedade ocidental, reproduzindo, sem cessar, os princípios, as imagens e os valores dominantes, sem qualquer tipo de violência física e sem o mais ténue vestígio de discurso autoritário. A civilização ocidental pelo menos do ponto de vista dos valores que se apresentam como dominantes, mas que, obviamente são muito mais do que isso sob a forma da simultaneidade enraizada e das imagens criadoras de real, obteve a sua vitória definitiva. O ciberespaço não é o fim das fronteiras, mas sim a invisibilidade das mesmas, de valores e de poderes. É a extensão técnica do mito da liberdade, da democracia. Trata-se assim de uma redução da exterioridade.
Os objectos são substituídos por representações de representações. O objecto material é a representação de uma representação. No ciberespaço todos podem comunicar com todos. Mas não existe já verdadeiramente objecto de comunicação. Porque não há exterioridade e porque o indivíduo só existe enquanto inserido em projectos que asseguram a reprodução das instituições. A vida concreta desenrola-se no interior de uma rede de metáforas que só remetem para outras metáforas. O espaço virtual sintetiza em si todas essas modificações: ele é simultaneamente um espaço alternativo ao espaço da vivência humana e uma extensão desse próprio espaço.
Mas a alternativa é ainda uma forma de extensão, ainda que irrepresentável. Neste sentido, sintetiza todas os anteriores infinitos e multiplica infinitamente as figuras que antes materializavam a possibilidade de comunicação com esses espaços, a rede está povoada de anjos fadas e sereias; cada indivíduo pode vestir a pele que quiser, pode torna-se anjo, fada e sereia, para os outros e para si mesmo. O sujeito da vivência virtual é desprovido de corpo.
Num primeiro momento, o desenvolvimento do ciberespaço acentua o fosso entre países pobres e países ricos. Num segundo momento, começou a tornar possível o acesso à informação por parte dos países pobres, contribuindo, assim, para que estes, apesar das suas deficientes condições económicas, começassem a aproximar-se dos países ricos em termos de informação e de possibilidades de comunicação. Mas esta situação tem o reverso da medalha: seria preciso saber primeiro que a maior parte da informação que circula na rede interessa.
Importa sublinhar é que ao colocar a questão da cibercultura, não estamos simplesmente a reflectir sobre um modo de ligação entre os homens e os seus produtos, mas entre os homens e os homens num quadro de poder. Neste momento a rede tende a reproduzir os mecanismos que lhe são exteriores, os modos de viver e de trocar informação, mas será ainda necessário algum tempo para que a rede imponha a sua natureza ao comportamento dos indivíduos.O ciberespaço é um hipertexto aparentemente caótico. No entanto, esse caos constitui uma ordem invisível orientada teleologicamente, isto é, para os seus fins. A rede é um infinito infinitamente limitado. No ciberespaço, a interactividade ocupa o lugar da acção. O sujeito da acção é a teleologia. O seu objecto é o homem. O ciberespaço radicaliza a racionalidade do espectáculo; nele, o indivíduo torna-se espectador de si mesmo, do seu poder e da sua liberdade. Os ambientes gráficos enquadram o ciberespaço numa ilusão de mundo configurável pelo indivíduo. O ciberespaço "existe" no interior de um espaço virtual acentuadamente gráfico e configurável pelo sujeito. O sujeito pode, assim, organizar e ordenar o cosmos à medida do seu gosto pessoal. O nosso planeta já não é a terra mas sim o Windows (ou o Linux). O ciberespaço radicaliza o quadro civilizacional que se apresenta como uma ausência de valores, pela admissão de todos os valores, sejam eles aceites ou não,


<< Home